PEDE/EPV – SÃO JOSÉ DOS PINHAIS – ARISTOCRATA

Iniciamos o projeto Aristocrata em 2017, com 17 crianças.
Hoje temos 14 crianças, do qual 7 fazem parte desde o primeiro ano. Temos uma equipe de 5 pessoas, o projeto é realizado todas as terças feira da 17:30 a 19: 00, 3 crianças estudam na Escola Municipal Modesto Zaniolo e estão cursando o ensino fundamental, as demais estão em outras duas escolas estaduais, Unidade Polo e Herbert de Souza, cursando o ensino médio.
O projeto é realizado na IEIMSP, situado no bairro Aristocrata, bairro de classe média.
Nossas crianças foram indicadas pela diretora Denise, da Escola Municipal Modesto Zaniolo (em 2017) pois as crianças apresentavam dificuldades de aprendizado e comportamento na escola, com famílias bastantes desestruturadas. Moram em bairros com vulnerabilidade social, numa distância de 3km do bairro onde é realizado o projeto.
Das 14 crianças, 9 são transportadas pela equipe do projeto (devidamente autorizado pela família) pegamos as crianças na escola após a aula 17:15 h levamos para o projeto, no término levamos para casa.

Cronograma de aulas do projeto

Semana 1 : oficina bíblica

Semana 2 : oficina literatura e jogos pedagógicos

Semana 3 : oficina saúde / higiene e biografia missionária

Semana 4 : oficina especial (culinária, artesanato, horta) aniversário e lojinha

Passeio cultural : 1 vez no ano, fazemos o passeio cultural

Final do ano de 2019, fizemos um retiro de 2 dias com as crianças.

Testemunho pessoal da coordenadora

Participo de projetos sociais desde 1994 junto com minha igreja local, conheci o projeto Educação por Princípio em 2008, através da Ong Atuação Voluntária, da qual faço parte como voluntária, educadora e coordenadora do projeto.
Confesso que nos primeiros dias do projeto, fiquei bem assustada e com pouca esperança, as crianças eram bastante agitadas, brigavam, falavam muitos palavrões, tinham bastante dificuldade em respeitar a equipe e os colegas. Iniciamos com uma equipe de 10 voluntários, apesar da equipe ser grande, em certos momentos faltavam voluntários para separar as brigas, agressões físicas e xingamentos, tinham dificuldades de como se comportar a mesa , fazer filas, concentrações nas aulas ,não paravam quietos nas orações, no lanche arrastavam as mesas e cadeiras… era um desespero!
A medida que fomos conhecendo o contexto familiar de cada criança, orando, ensinando e aplicando os princípios, os resultados começaram a acontecer, hoje eles amam o projeto!
É maravilhoso ver a transformação na vida das crianças, no comportamento e rendimento escolar, respeito ao amigo de turma e aos educadores, conseguem ter mais auto governo, sabem da soberania e do amor de Deus pela vida deles.
É muito gratificante ouvir dos familiares que as crianças estão se comportando melhor e compartilham dos princípios em casa.
Os desafios são muitos, mas temos visto que é possível transformar e dar esperança a cada criança através dos 7 princípios. Como é bom ouvir das crianças, uma oração, um obrigado, um por favor, o desejo de ter uma profissão, gesto simples que podem torná-los cidadãos de bem, podem amar a Deus e ao seu próximo. Isso nos dá esperança que: investir tempo, oração, contribuições financeiras, faz valer a pena!